Buscar
  • Colégio Del Rey

Instigar o gosto pela pesquisa e conhecimento, de maneira integrada a valores humanos universais

Como a visão de coletividade, solidariedade, cooperação, empatia ao próximo e respeito às diversidades culturais é a forma de trabalho que o Colégio Del Rey oferece à cidade de Passos e região nos últimos 19 anos. Entre os diversos produtos educacionais praticados pela escola, a Feira do Empreendedor, em sua 11° edição neste ano de 2019, mostrou a missão institucional aplicada na prática, ou seja, a missão de despertar no aluno a paixão pelo conhecimento, para que ele seja o protagonista da sua própria história.

Os alunos desenvolveram 23 projetos que foram elaborados seguindo a metodologia ABP – Aprendizado Baseado em Projetos (PBL em inglês), o qual tem seu foco na estruturação científica e objetiva da resolução de problemas, visando desenvolver produtos e serviços que possam contribuir de maneira efetiva para melhoria da comunidade.

Todos os projetos serão reportados numa série de matérias neste jornal com o intuito de apresentar para a cidade o que seus jovens estudantes fazem e pensam em fazer para melhorar suas vidas e as vidas das pessoas que os cercam não ficando restrito aos muros da escola.

A educação foi o foco do projeto, “Na ponta do lápis”, vencedor da feira. As alunas Cláudia Cerqueira (8°ano), Letícia Queiroz (1° ano EM), Letícia Truccollo (2° ano EM), Maria de Fátima Oliveira (1° ano EM), Micaela Maia (6° ano EF) e Rúbia Mendes (1° ano EM), sob a orientação da professora Amanda Miarelli, e mentora Natália França surpreenderam a banca examinadora ao apresentar um trabalho de empreendedorismo que tem como objetivo identificar as maiores dificuldades de aprendizado dos alunos da rede pública, a diferença entre a educação pública e privada e quais as melhorias que podem ser aplicadas através de uma interação mais próxima. Como proposta para solução do problema, as alunas criaram um projeto de monitoria que visa promover o aprendizado através de jogos, dinâmicas e aulas tradicionais com os alunos da Escola Dulce Ferreira de Souza (Polivalente).

Elas frequentam semanalmente a escola Polivalente, em parceria com professores do Poli, transmitem aos alunos os conhecimentos que adquiriram no Colégio Del Rey. De fato, foi identificada uma discrepância entre a educação pública e a privada e infelizmente muitos dos alunos do Ensino Fundamental II não possuem uma base de boa qualidade.

Contribuir, de alguma forma, com melhoria da escola pública é alma deste projeto. Somente através das discussões sociais sobre os caminhos da educação em nosso país que será possível formar cidadãos capazes, críticos e íntegros. O Colégio Del Rey está muito orgulhoso de suas alunas, que abraçaram uma escola irmã, vizinha de bairro, tendo a consciência que indiferente das oportunidades econômicas que elas possuem atualmente, lutar pela educação pública é um ato de cidadania, pois a escola pública é mais que uma instituição de ensino, é um lugar de resistência a tantos problemas sociais.

O projeto, “Reaproveitamento de pneus inservíveis na mistura asfáltica”, o qual ganhou o segundo lugar, também deixou a banca examinadora admirada. Formado pelos alunos Ana Clara Oliveira (1° ano EM), Lucas Costa (9° ano EF), Mariana Stoll (9° ano EF), Maria Eduarda Costa (2° ano EM) e Paola Dias (2° ano EM), sob orientação do professor Felipe Sirotheau, o projeto tem como objetivo melhorar a qualidade das ruas e rodovias através da pesquisa e do desenvolvimento de um asfalto ecológico composto por pó de pneus moídos misturados aos cimentos asfálticos. Este material, além de ser mais resistente e duradouro, reutiliza matérias-primas, reduz danos ambientais e possui um melhor custo-benefício em seu processo produtivo.

Pneus inservíveis como forma de modificar e melhorar a qualidade do asfalto é algo possível e desejável. Nos dias atuais, em que a preocupação com a preservação do meio ambiente é tópico das grandes discussões nacionais e internacionais, é uma honra para a direção e para os professores do Colégio Del Rey ver que seus alunos estão antenados com estas questões e mais, estão propondo estudos que podem ajudar de maneira significativa nosso planeta. Na próxima semana, falaremos de outros dois projetos que ultrapassam as salas e muros do colégio e beneficiam a sociedade como um todo.